O papel da escola

A Educação Infantil, primeira etapa da Educação Básica, tem como finalidade o desenvolvimento integral de crianças até seis anos de idade, em seus aspectos físico, psicológico, intelectual e social, complementando a ação da família e da comunidade.

O trabalho da escola, ao longo de toda a educação infantil, tem como objetivo desenvolver nas crianças uma atitude autônoma e cooperativa e isto implica numa organização desde os primeiros grupos.

No Ensino Fundamental, o papel da escola é o de auxiliar o aluno a reconhecer e vivenciar o prazerde aprender onde ele existe e suportar viver as dúvidas e as dificuldades frente ao desconhecido. Isto se faz através da definição de estratégias de ação que se constituam num convite para que sejam trazidos os conhecimentos anteriores que serão compartilhados e que se constituirão na base para investigações futuras que devem acontecer de maneira ativa, participativa e criativa ganhando significado numa forma adequada de registro que favoreça o compartilhar para, num momento futuro, ser, mais uma vez, “desconstruido”…

Dois aspectos definem fundamentalmente o papel da escola nesta fase:

  1. A vivência de grupo e o reconhecimento de que o conhecimento só faz sentido se compartilhado, colocado à prova diante das situações da vida num campo de relações sociais em que o conhecimento deve ser significado, as ferramentas devem estar disponíveis e os procedimentos incorporados, para que cada um persiga, com autonomia, as respostas àssuas perguntas.
  2. A segmentação do conhecimento em áreas,que deve contribuir, paradoxalmente, para uma visão interdisciplinar e dinâmica dos conteúdos abordados.

Projeto pedagógico

Um projeto pedagógico, mais que um elenco de atividades que, somadas, abordam as diversas áreas do conhecimento, é a resposta da escola aos anseios e curiosidades das crianças e, ao mesmo tempo, diz sobre seu engajamento social e político que norteia a escolha de temas relevantes ou a definição de estratégias de ação.

Nele está incluído o planejamento das atividades e através dele, podemos reconhecer a sutil relação que se estabelece entre os sujeitos que constroem e compartilham novos saberes.

Na escola, o saber é construído. O velho fica novo e o que é comum ganha um sentido especial, um  novo significado quando contextualizado.

É, portanto, uma enorme responsabilidade assumir o compromisso de disponibilizar ferramentas, proporcionar a vivência de situações e favorecer o estabelecimento relações em que o aprender ganhe o espaço de destaque numa relação de desejo (de saber) e de prazer (de conhecer).

É o desafio de educar. Razão de ser da qual a escola não pode se furtar.

Integração Infantil e Fundamental

Após vinte anos de tradição de trabalho com crianças no período da primeira infância, o Arraial das Cores inaugurou o “ARRAIAL – ENSINO FUNDAMENTAL”.

Este projeto nasceu carregado da experiência de acompanhamento de nossos ex-alunos no curso de seu novo ciclo escolar, da discussão com os pais desses alunos (com os sempre mantemos contato) e com educadores responsáveis por receber nossos alunos em suas novas escolas. Havia ainda uma reivindicação antiga e constante dos pais e professores para que ampliássemos nosso atendimento educacional a crianças maiores de 6 anos .

Nosso desafio era fazer acontecer uma prática que marcasse uma diferença em relação ao papel social de nosso estudante que ingressava nesse novo curso e que, ao mesmo tempo, não fosse mais do que a continuação coerente da nossa prática na educação infantil.

Hoje podemos dizer que vencemos o desafio ao qual nos propusemos: preservar as características da Educação Infantil e do Ensino Fundamental naquilo que eles têm de diferença socialmente marcada e, a partir do respeito a essas diferenças e com as diferenciações necessárias, promovemos uma boa integração entre ambos, que implicou inclusive numa nova configuração da escola, até mesmo em relação à organização e utilização do espaço físico.

Nossos alunos do Ensino Fundamental continuam brincando e jogando, transitando entre a fantasia e a realidade, cada vez mais conscientes de seu papel social. Nós os acompanhamos também brincando com as palavras, no discurso oral, na leitura e na escrita. São aprendizes ativos e participativos, que aprendem a trabalhar em equipe, ouvir e falar, levantar hipóteses, baseados em conhecimentos anteriores e na observação atenta e verdadeiramente interessada. Eles investem na pesquisa, experimentação, questionamento e tiram suas conclusões a partir de suas reflexões e de seus colegas.

O brincar

Brincar é fundamental. É a partir dessa atividade que as crianças vão criando condições de lidar com a realidade com suas tantas informações e desafios.

Entendemos que brincar é fundamental porque é brincando que as crianças vão criando condições de lidar com a realidade, suas informações e desafios, de forma crítica e criativa, à sua maneira e no seu ritmo.

Mesmo quando às crianças, na primeira infância, é autorizado e valorizado brincar, jogar, fantasiar e imaginar, aos maiores, muitas vezes esta prática é permitida ou admitida apenas nos momentos de “recreio”, como uma forma de relaxar e se refazer das energias gastas para o aprender. Mas o fato é que o aprendizado só ganha significado quando “jogado”, transposto para o contexto de vida pessoal ou de um grupo.

Dessa forma, a escola, seja na educação infantil ou no ensino fundamental, deve ser também o espaço do brincar. Do brincar com regras – do jogar, do brincar regulado no grupo; do brincar sem tutoria e sem regras; do brincar de que o “de verdade” e o “de mentira” são a mesma verdade; dobrincar de inventar e de reinventar o mundo a cada momento com enfoques diferentes, ajustando-o ao seu desejo, validando este desejo para poder, agora sim, se relacionar com o real, com o possível e, de fato, entender – como lhe é possível a cada momento, seu papel histórico e social.

Conheça nossa produções acadêmicas!

Links para pesquisa:

– DissertacaoMariaCarolinaVillasBoas.pdf

– ferreirapaulonin.pdf